Entrevista com André Gelfi

André Gelfi – Codere

1. Por que a Codere escolheu patrocinar o Festival Bento Gonçalves?
Ao longo dos últimos 10 anos o JCRGS, representado pelas diversas diretorias que por lá passaram, além de toda comunidade hípica local, tem nos apoiado na ampliação e desenvolvimento de nossa parceria. A luta do presidente José Vecchio e sua diretoria para melhorar a atividade turfística no País foram determinantes para nosso apoio.

2. O que a Codere espera com esse patrocínio?
O principal objetivo é elevar o nível técnico das carreiras (rating) no Cristal, bem como  promover e divulgar o JCRGS na comunidade internacional, o que além de facilitar a integração com o turfe e com os hipódromos do exterior, também serve de referência para apostadores, proprietários e criadores.

3. Quais os investimentos devem ser feitos pelo acordo assinado entre a Codere e o JCRGS?
São investimentos em infraestrutura e inovação no produto e na distribuição do mesmo, tanto localmente quanto no mercado internacional. Nosso plano de investimento contempla a aquisição e implantação de um novo sistema totalizador, de padrão internacional – compatível com a indústria -, novas plataformas para apostas, expansão da rede de agências e agentes, bem como melhorias na estrutura do Hipódromo do Cristal. Investimentos alinhados com a visão de integrá-lo ao cenário internacional.

4. Como a parceria da Codere com o JCRGS pode melhorar o mercado turfístico nacional?
Nossa atuação durante os últimos anos estimulou a integração da hípica brasileira com o mercado internacional. Os clientes têm oportunidade de acompanhar animais e jockeys brasileiros e estrangeiros que atuam em diversos países.  A falta de tecnologia de ponta impediu que a integração entre hipódromos fosse maior. O projeto que implantaremos ampliará esta integração, levando, em tempo real, o produto nacional a centenas de pontos de apostas no exterior. Isto valorizará toda a cadeia nacional.

5. Como você enxerga o futuro do Turfe no país?
Temos uma visão vanguardista, acreditamos que, para sobreviver, a atividade hípica necessita modernizar-se. Isto é, precisamos oferecer mais e melhores produtos. Por que não implantar novas fontes de receitas que contribuam para o desenvolvimento do setor? O turfe é entretenimento. Neste sentido, o mercado é extremamente competitivo, diariamente surgem novas opções de lazer, interatividade etc. Olhar o passado de forma saudosista e acreditar que uma campanha publicitária possa trazer de volta aos hipódromos os milhares de frequentadores e apostadores seria formidável, mas não realista. O mundo mudou e precisamos nos reinventar como indústria para sermos competitivos e não desaparecer.

CODERE PATROCINADORA PREMIUM DO FESTIVAL GP BENTO GONÇALVES/2014.