Entrevista com Marcos Rizzon

Marcos Rizzon – Jornal do Turfe

FELIZZOLA – Rizzon qual tua opinião sobre o GP Bento?

RIZZON – Felizzola, vocês estão fazendo uma gestão muito séria, com um prêmio muito bom e é difícil entender porque não vem mais alguns dos melhores arenáticos do país. Não são só estes seis. Existem outros que poderiam ganhar – e perder destes que poderiam estar presentes. Isso é algo que precisamos procurar ver porque isto está acontecendo.

FELIZZOLA – Sobre a preocupação de alcançar o rating para manter o Grupo I

RIZZON -Precisávamos de quatro animais com 110 e temos quatro animais com 110. Eu brinquei que é um handicap de tordilhos. Na minha visão o Uareademon é o cavalo que corre na frente, o Beduíno do Brasil é um cavalo que vai vir forte na reta de chegada, o Guadi é o cavalo que vai seguir o Uareademon. Mas, sempre que ele segue um animal, ele acaba não confirmando na reta. O Whoope Maker é o cavalo que vai correr uma corrida perdida para chegar ali em quarto ou terceiro lugar. Temos o Beatiful Point, que era um cavalo que não existia em termos de turfe e nas últimas duas carreiras, simplesmente corria o últimos a 100 metros e apareceu em uma reta pequena, com variante e passou e atropelou, como um Boeing pelo Montardon.
Temos o Montardon e o Save The Tiger, que sabemos que, técnicamente é difícil ganhar dos outros, mas, corridas são corridas e são sempre surpreendentes.

FELIZZOLA – Comparado com os Bentos do passado, e olhando para o índice técnico alcançado este ano, qual tua avaliação?

RIZZON – Na época não tinha rating, mas, o Bento de 1978, Jeton, 2ª lugar  Big Larkm 3º Lugar com Earp, montado por Ricardinho.
Bento de 1979: Garve, The Last – que era um cavalo top do Uruguay na época – e em terceiro Big  Lark, Irismond um potro muito bom do Haras Socorro do Sul,  e Giorgino de Deus no quinto.

Depois tivemos o Bento do Artung. Com a montaria de Juvenal M. da Silva, o  Reichmark que era o favorito, um cavalo espetacular, um tordilho por coincidência. Neste páreo o Exótico foi terceiro lugar e fracassou Nagami, que era ganhador de Grupo I de Santana do Rio Grande.
Tivemos mais adiante o Zirbo (que viria ganhar três anos consecutivos) derrotando el Santarém, de Grupo I, mas daí os cavalos que chegaram no placar daquela prova eram cavalos caseiros, se não me engano o Céltico entrou em quinto lugar neste Bento do Zirbo.
Acho que, tecnicamente, nestes últimos dez anos, é o Bento mais qualificado, pelo rating dos animais que vem ao Cristal.

FELIZZOLA – quais seriam as causas desta melhoria técnica.? A pista? Na última quinta tivemos Wagner Borges montando e vencendo com From Tokyo City e ele elogiou muito a pista. O quanto a pista pode ser determinante desta qualificação do GP Bento em 2014?

RIZZON -A pista deste ano será a pista de grama do ano que vem. O JCRGS fez um trabalho sério, mostrou que uma pista não custa apenas 500 mil reais, que não basta retirar a areia e colocá-la novamente. É preciso refazer tudo: drenos e assim por diante. O Vagner Borges elogiou nossa pista, o Ricardinho elogiou nossa pista, o Russell Baze adorou nossa pista, ou seja: a nossa pista hoje é a melhor do Brasil, disparado! Nós temos uma prêmio de 100 mil na areia, que é praticamente a dotação do GP São Paulo, que teve premiação de 120 mil com added de 12 mil. O que está faltando para nós? O que está acontecendo? Será que teríamos que pagar o frete, conseguir um avião cargueiro para trazer mais cavalos?

FELIZZOLA – Tu gostarias que tivéssemos um GP Bento mais numeroso? Tu não achas que a qualidade vale mais do que a quantidade, ou que a qualificação dos inscritos afasta outros concorrentes? Os sete animais no fundo são os 2 melhores do Rio, os 2 melhores de São Paulo, o cavalo do Paraná que está aí para ser batido. Qualquer cavalo arenático que hoje faz quinto é candidato a oitavo…

RIZZON – Verdade, verdade. No Bento de 1978 o Jeton era uma pule de 15 por 1 com o Omar Batista, era o Save de Tiger este ano, e atropelou na reta de chegada e ganhou o Bento Gonçalves. Você estando no partidor tem chance de ganhar, não só de participar. Porque coisas acontecem. Nós temos neste Bento Gonçalves um fato curioso: além de termos quatro tordilhos, temos 2 parafusados: Beduíno do Brasil tem parafuso na canela e Uarademon tem parafuso no joelho.

FELIZZOLA – E quanto aos jóqueis? Teremos os melhores do Brasil aqui no Cristal para o GP Bento 2014?

RIZZON – Aí não tem problema nenhum. Se toda quinta-feira nos disponibilizássemos 2 ou 3 passagens, teríamos filas de jóqueis de Rio e São Paulo para vir montar aqui no Cristal. Todos querem montar aqui hoje. Sabem que as comissões não têm o mesmo padrão de São Paulo e Rio, mas sabem que recebem no dia seguinte e são muito bem tratados. Aliás, não só dentro do Jockey Club, nós gaúchos recebemos muito bem. Acho que em termos de jóqueis estamos muito bem servidos. Ainda existem conversas de amigos aqui dentro, se um empresta o jóquei para outro, assim, elem de grandes como Lavor, Vagner Borges, Daltro Duarte(*), Valdomiro Blandi ainda devem vir mais joqueis para o Bento.

FELIZZOLA – E a milha Rizzon? Fale um pouco sobre a milha, tivemos abundância de inscrições…

RIZZON -O Ricardo Degrazia Matas disse que o Jack of all Trades e deve estar fora porque teve um problema no Joelho. Assim como o Arquimedes, que teve exaustão, ainda que fosse o que mais corria na semana passada, não sei se confirmará a inscrição. A milha é muito complicada. É um páreo em aberto, pode ganhar qualquer animal. Se tu me disseres: “ Rizzon, o Dom Miloca vai tomar a frente…” Uma coisa é tomar a frente em São Paulo, com uma raia dura. Outra coisa é tomar a frente em nossa pista, nos últimos 400 metros os cavalos sentem. O Ponamariov é um cavalo a ser respeitado, uma grande força: acredito que ele ficará entre os quatro.

FELIZZOLA – E sobre o GP ABCPCC, o páreo de Velocidade?

RIZZON -Tem um cavalo chamado Dearest Son, parafusado também, o proprietário vem de Recife para Porto Alegre, vai com Antonio Queiroz, ele correu nove e ganhou seis. Este cavalo é um fenômeno: há um mês ele reapareceu depois de oito meses de cura. Largou parado no primeiro páreo, favorito destacado, e o narrador “larga praticamente fora de carreira Dearest Son”  e nos últimos 100 metros ele passou como se fosse um  Boeing e marcou 1”03s. Este é um cavalo de 1100, 1200m. Esta é a distância dele.
Há um cavalo chamado Onzaneiro, ele para ele ter vindo o ano passado, e o J. Cezar não o trouxe para correr uma prova especial no Rio De Janeiro. Naquela ocasião o cavalo não fez nada, teve um período de descenço e agora ele reapareceu ganhando e perdendo para o Dearest Son. É um bom cavalo. E há também os daqui:  Quick Heart, Amor Gitano, Undostais, que é um cavalo extremamente veloz. Ou seja, eu acho que o jogo de remates que devemos ter na sexta, acho que a milha e a velocidade vão ter o dobro do jogo que o Bento e o páreo das  éguas.

FELIZZOLA – E sobre o páreo de éguas e o remate?

RIZZON -O páreo das águas, tirando a  Doppia Vendetta, qualquer uma pode ganhar. A Doppia Vendetta é a grande barbada. Só se houver algum contratempo ela pode perder o páreo. E nos remates o jogo vai ser para o segundo, obviamente,  até porque não tem jogo forçado nem determinado e o proprietário não pode ficar chateado com a gene se a gente retira a égua.

FELIZZOLA – E sobre os remates, como funcionarão Rizzon?

RIZZON -Os remates, nós fizemos uma condição especial. Teremos tickets de 2,5 e 5 mil reais, e eu bolei com o Restaurante do Jockey para quem adquirir o antecipadamente, existem tickets de 5 mil reais com parte destacavel para trocar por 1 litro de Black label e 2 sanduíches abertos. E o ticket de 2500 reais troca por 3 cervejas, 1 batata frita e 1 sanduiche aberto. Quem quiser participar do Remate, mesmo sem adquirir o ticket antecipadamente, pode vir ao Salão Preto do Jockey Club na sexta-feira, 12 de novembro, 20 horas e paga o que quiser consumir. Todos são bem vindos!

Detalhe importante: será feita a entrega da Premiação dos Campeões da Estatística 2013-2014.

FELIZZOLA – Rizzon, quais tuas quatro indicações para o Festival Bento Gonçalves?

RIZZON
GP Bento Gonçalves: Uareademon
GP Luiz Fernando Cirne Lima: Doppia Vendeta
GP Presidente da República: Don Miloca
GP ABCPCC: Dearest Son

(*) A entrevista foi realizada no dia 30 de outubro e no dia 1º de novembro realizamos a trágica notícia do falecimento deste jóquei.